“Amor à Vida” - Walcyr Carrasco diz querer apenas retratar e não defender direitos LGBT;


Amor à Vida”, que entrou no ar nesta segunda-feira, 20, na TV Globo, tem ao menos três personagens homossexuais, mas o autor, Walcyr Carrasco, afirma não querer levantar bandeiras gays e de que está cansado do politicamente correto.

Eu não sou um autor que paro para dar recados. Tenho que ser conhecido pela minha obra, não por bandeiras desfraldadas”, disse Walcyr Carrasco, ao G1.

Walcyr Carrasco quer apenas retratar o que observa na vida e não defender direitos LGBT.
É uma trama que tenho visto muito, que tem acontecido muito na vida, o casal gay ou lésbico que procura ter uma família até nos moldes tradicionais: ter um filho, levar na escola, em reunião de pais e mestres…


No folhetim, os personagens de Marcello Antony e Thiago Fragoso formam um casal que vai contratar uma barriga de aluguel para ter um filho "Daniele Winits".
Já o personagem de Mateus Solano rompe com uma espécie de politicamente correto ao colocar um homossexual enrustido como vilão.

As pessoas que não vivem plenamente quem elas são tendem a ter uma amargura. O personagem expressa esta amargura: de não poder ser quem desejaria ser”, fala Walcyr Carrasco sobre o personagem mau caráter que é casado com uma mulher (Bárbara Paz) mesmo gostando de homens.

Postar um comentário

comente esta publicação:

Subir