Netflix anuncia demissão de 150 funcionários após queda de assinantes

Reprodução

Uma semana depois da divulgação do balanço do último trimestre, a Netflix precisou demitir 150 funcionários após perder 200 mil assinantes na plataforma. O corte representa 2% do quadro de funcionários da companhia e expõe a crise financeira enfrentada pela gigante do streaming. A maioria dos desligamentos aconteceu nos Estados Unidos, faz parte de uma reestruturação do departamento de marketing da empresa. Recentemente, uma rodada de demissões já havia acontecido. Cerca de 25 funcionários da área de marketing foram demitidos, incluindo a equipe de conteúdo voltada para fãs da plataforma, que mantinha o site Tudum (nome que os assinantes escutam quando abrem o aplicativo da Netflix), lançado em 2021.

Em comunicado, a Netflix confirmou as demissões afirmando que foram motivadas principalmente por questões financeiras, e não por desempenho. "Conforme explicamos sobre os lucros, nosso crescimento de receita mais lento significa que também estamos tendo que diminuir nosso crescimento de custos como empresa", disse um representante da companhia ao site The Verge.

"Infelizmente, estamos demitindo cerca de 150 funcionários hoje, a maioria dos EUA. Essas mudanças são impulsionadas principalmente pelas necessidades de negócios e não pelo desempenho individual. Estamos trabalhando duro para apoiá-los nessa transição muito difícil", finalizou. 

A demissão em massa é apenas o mais recente capítulo da crise que parece se espalhar pelos corredores da empresa desde o anúncio da queda de assinantes. 

Além das demissões no quadro de funcionários, a Netflix sofreu sua primeira queda no número de assinantes em dez anos, e o cenário para o futuro parece não ajudar. A empresa espera perder mais 2 milhões de assinantes no segundo trimestre. O encerramento dos serviços na Rússia, contribui para o resultado. A Netflix teve um trimestre discreto com número menor de sucessos em Hollywood lançados na plataforma, o que também não colaborou.

Recentemente, a Netflix foi alvo de uma ação judicial de acionistas em um tribunal americano. O grupo acusa o serviço de streaming, de enganar o mercado sobre sua capacidade de continuar adicionando assinantes nos últimos meses.

A ação, protocolada no Tribunal Federal de São Francisco no início de maio, pede indenização por quedas no preço das ações da Netflix neste ano, depois que a companhia admitiu que não vai atingir suas metas de crescimento de assinantes.

Postar um comentário

comente esta publicação:

Subir